Compare planos de celular

Fusão Oi e TIM? Saiba tudo sobre essa possível parceria e se alguma delas será comprada pela outra!

Desde 2014, ouve-se boatos sobre uma possível fusão entre Oi e TIM. No entanto, essa união seria feita na pela Telecom Italia, mas, na época, o CEO da TIM no Brasil afirmou que não estava acontecendo nenhum tipo de negociação sobre isso.

No final das contas, nada foi feito e o assunto acabou saindo dos noticiários. Acontece que, no dia 27 de março de 2018, foi assinado um memorando por ambas as operadoras falando sobre um planejamento para compartilhar a infraestrutura.

E aí, como ficou a história de união entre Tim e Oi?

Entenda melhor o que está acontecendo até agora e se existe a chance de uma parceria entre as operadoras ou até de se tornarem um grupo só, seja por meio de uma união ou mesmo pela compra uma da outra!

Por quê estão falando sobre a fusão Oi e TIM?

Apesar de ambas as operadoras não terem se manifestado sobre o assunto recém voltado para a mídia, até o dia 1 de maio de 2018, diversos investidores já estão analisando os prós e contras dessa fusão.

O fato é que, quando em 2014, especulou-se uma possível união, o presidente da Telecom Italia (a TIM da Itália) deixou bem claro que isso não aconteceria até que houvessem mudanças nas leis que regulamentam as empresas que oferecem telefonia fixa.

Então, em junho de 2016, a Oi entrou com um pedido de recuperação judicial, pois acumulava uma dívida de R$ 65 bilhões, dos quais R$ 20 bilhões correspondem a débitos para com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Portanto, enquanto isso não fosse resolvido, nada poderia ser feito.

Em 17 de março de 2018, o plano de recuperação judicial da Oi foi aprovado e há indícios de que as regulações nesse setor sofram mudanças, tornando as obrigações das provedoras de telefonia fixa mais flexíveis.

No dia 27 de março de 2018, a Oi e a TIM assinaram um memorando que planeja um compartilhamento de infraestrutura, podendo ser um sinal sobre possíveis negociações futuras.

Por isso, o assunto sobre uma possível fusão ou até mesmo a compra de uma pela outra voltou a ser comentado e, inclusive, esperado por investidores. Caso a opção de compra seja a escolhida pelos presidentes das operadoras, a TIM (compradora) ajudaria a Oi (comprada) a arcar com as suas dívidas.

Quais as vantagens dessa união?

Essa parceria entre Oi e TIM reflete uma grande chance de aumentar o grupo e promover uma menor competição no mercado, reduzindo os custos e ampliando os investimentos, assim como a infraestrutura e serviços oferecidos.

Isso porque a Oi é a operadora que oferece a maior cobertura de telefonia fixa de todo o Brasil, fazendo com possa começar a ofertar serviços como banda larga e TV por assinatura – além dos planos para celular já oferecidos, como o Oi Controle e os planos pós-pagos.

Por outro lado, como o foco da TIM é a telefonia móvel, tudo indica que essa junção com a Oi ajudaria a aumentar o seu portfólio de clientes e regiões atendidas.

Porém, essas vantagens dizem mais respeito à maior disponibilidade de serviços dessas duas operadoras do que em relação a preço, qualidade e etc.

E as desvantagens?

No ponto de vista dos investidores e das próprias companhias, já deu para perceber que seria bastante vantajoso.

Contudo, para os consumidores, essa fusão Oi e TIM não seria tão agradável, pois, por fazer com que a competitividade seja menor, isso faz com que os valores oferecidos para contratar os seus serviços possa aumentar.

Porém, ao contrário dos demais países da América Latina que possuem apenas três maiores operadoras, o Brasil conta hoje com cinco operadoras majoritárias (Vivo, TIM, Claro, Oi e Nextel). Então, é pouco provável que a parceria Oi e TIM reduza a competitividade no mercado tendo em vista o tamanho e influência da Vivo e da Claro.

Alguns analistas ainda avaliam que essa possível fusão seria ruim apenas para a Vivo e a Claro, que aproveitam a fraqueza da Oi até agora para adquirir clientes que estejam saindo da operadora. Caso essa consolidação seja realizada, essa união poderá ser tão forte quanto as duas marcas citadas anteriormente.

Tá procurando um plano de celular? Então compare os preços e pacotes disponíveis na sua região!

Últimas notícias sobre a parceria Oi e TIM

Até o final de março de 2018, nem a Oi nem a TIM falaram nada sobre esse assunto de maneira específica, apenas assinaram um memorando sobre um planejamento de compartilhamento de infraestrutura.

Em dezembro de 2016, a TIM comentou que não pretendia fazer potenciais investimentos antes de 2019, tanto em relação à compra quanto à fusão com a Oi. No entanto, é importante ressaltar que até o momento em que a TIM se havia se pronunciado sobre isso, o plano de recuperação da Oi ainda não havia sido aprovado, o que agora já foi.

É cliente Oi e está interessado em mudar para a Tim? Então confira os planos da operadora disponíveis na sua cidade e veja se vale a pena!

Saiba também como está a questão do limite da banda larga:

Limite de internet banda larga no Brasil: devo me preocupar?

Então, levando em consideração todos os acontecimentos, vantagens e desvantagens, a fusão Oi e TIM é uma boa ideia para você? Deixe aqui nos comentários a sua opinião!