Carregando...

logo melhor plano

Open Banking: Entenda o que significa e quais os benefícios!

Conteúdo atualizado em

O Open Banking promete transformar a forma como os serviços financeiros são utilizados. Antes, as informações cadastrais e financeiras de uma pessoa ou empresa ficavam restritas apenas ao banco no qual um cliente possui conta.

Porém, com o Open Banking se tornou possível compartilhar suas informações financeiras com a instituição que quiser, pelo tempo desejado.

Saiba mais sobre o Open Banking e os benefícios do novo sistema!

O que é Open Banking?

Open Banking é um sistema de compartilhamento de informações entre diferentes instituições financeiras.

Assim, elas poderão compartilhar informações de pessoas físicas ou jurídicas, como movimentações em contas bancárias, a partir do consentimento dos correntistas.

Isso possibilita maior autonomia e controle de seus dados compartilhados com seu banco.

Além disso, a ideia central desse compartilhamento de informações é estimular a leal concorrência entre os bancos ao oferecer produtos e serviços.

O compartilhamento dessas informações permite que os bancos "disputem" para oferecer melhores taxas de juros, condições e prazos de pagamento para quem precisa de um empréstimo ou financiamento.

A abertura dos dados também facilita a sua vida, pois não será mais necessário abrir uma conta em cada banco para ter uma análise de crédito. Isso otimiza seu tempo e diminui a burocracia envolvida no processo.

O que significa Open Banking?

A tradução de Open Banking significa "Banco Aberto", sendo um desdobramento do termo "Sistema Financeiro Aberto".

Isso significa que os seus dados como cliente de um banco poderão ser abertos a outros bancos, caso você permita.

Como funciona o Open Banking?

Toda a operação começa na instituição onde o interessado deseja adquirir algum produto. Por exemplo, no caso de empréstimo pessoal:

  1. O interessado deve procurar a instituição financeira na qual tenha interesse de conhecer as condições do empréstimo e informar em qual banco ele possui cadastro

  2. Em seguida, a instituição solicita ao banco as informações necessárias para análise

  3. O banco então entra em contato com o cliente pedindo autorização de compartilhamento de dados

  4. A transferência de dados é efetuada somente após o "sim" do cliente.

O compartilhamento de dados é possível graças a uma tecnologia conhecida como API (em português "Interface de Programação de Aplicativos").

A partir dela o BACEN criou a camada de tecnologia padronizada, que permite o compartilhamento de dados entre as instituições financeiras de forma prática, ágil e segura.

Esse compartilhamento de dados tão sensíveis pode preocupar algumas pessoas. Porém, o não compartilhamento das informações impede a análise de crédito das instituições financeiras.

Quanto mais transparência no processo melhor, pois isso aumenta o nível de confiança da instituição que irá conceder serviços financeiros, e permite que ela ofereça melhores taxas de juros e melhores prazos de pagamento.

Open Banking para negativados

Os negativados têm maiores chances de conseguir empréstimo com o Open Banking, pois a análise de crédito terá foco maior nas transações que no histórico do consumidor.

Isso acontece porque a restrição de crédito não integra a lista de informações que podem ser compartilhadas no Open Banking.

Entretanto, as instituições financeiras continuarão com o procedimento de calcular e armazenar os dados dos clientes inadimplentes até que a dívida seja quitada.

Por isso, os bancos ainda podem consultar o score antes de decidir pela emissão de empréstimos ou crédito aos clientes.

Open Banking para empresas

Assim como para pessoas físicas, as informações da conta bancária das pessoas jurídicas poderão ser compartilhadas com outras instituições financeiras.

Confira alguns impactos do Open Banking no dia-a-dia das empresas:

  • Diminui o risco de crédito das financeiras que oferecem o crédito;
  • Menores taxas e melhores serviços;
  • Melhora a transmissão de informações de qualidade para as instituições;
  • Aumenta o acesso ao crédito para micro e pequenas empresas;
  • Beneficia a concorrência leal entre as financeiras que oferecem o crédito;
  • Melhorar a gestão financeira das empresas.

Graças ao compartilhamento de informações, será possível escolher a melhor oferta para o seu negócio, melhorando a gestão financeira da empresa.

Quais dados são compartilhados no Open Banking?

Após a solicitação e autorização por parte do interessado, alguns dados serão compartilhados entre as instituições financeiras, entre eles estão:

  • Dados cadastrais;
  • Informações sobre renda;
  • Dados transacionais;
  • Dados sobre produtos e serviços adquiridos pela pessoa física ou jurídica.

Dados a serem coletados (Pessoa Física):

  • Nome;
  • CPF;
  • Telefone;
  • Endereço;
  • Comprovante salarial;
  • Perfil de consumo;
  • Capacidade de compra;
  • Movimentação de conta corrente;
  • Informações sobre empréstimos e financiamentos.

Dados a serem coletados (Pessoa Jurídica):

  • Razão social;
  • CNPJ;
  • Telefone;
  • Endereço;
  • Nomes e dados dos sócios (se aplicável);
  • Faturamento ou outros dados similares;
  • Perfil de consumo;
  • Capacidade de compra;
  • Movimentação de conta corrente;
  • Informações sobre empréstimos e financiamentos.

Qual o objetivo do Open Banking?

O objetivo principal do Open Banking é aumentar a competitividade entre os bancos, trazendo mais vantagens e melhores condições de produtos e serviços para os clientes.

Além de diminuir a burocracia na hora de conseguir um empréstimo, financiamento ou cartão de crédito.

Confira algumas novidades do Open Banking abaixo:

  • Permitir que o usuário controle e compartilhe seus próprios dados, que antes podiam ser acessados apenas pela instituição na qual ele possui conta;
  • Aumentar as chances de obtenção de crédito com taxas de juros mais justas e melhores prazos para pagamento;
  • Possibilitar o desenvolvimento de comparadores de serviços e de tarifas;
  • Desenvolver e popularizar o uso de aplicativos de aconselhamento financeiro e planejamento familiar;
  • Conferir a possibilidade de pagamento através das redes sociais;
  • Desenvolver marketplaces de crédito.

Quando começa o Open Banking no Brasil?

O processo de implementação do Open Banking no Brasil iniciou oficialmente no dia 1º de fevereiro de 2021 e já passou por quatro fases de implementação.

Confira as etapas de cada fase a seguir:

Fases do Open Banking

Principais acontecimentos

1ª fase

As instituições participantes disponibilizaram ao público informações padronizadas sobre os seus canais de atendimento e as características de produtos e serviços bancários tradicionais que oferecem. Ainda não era compartilhado nenhum dado de cliente.

2ª fase

Compartilhamento de dados cadastrais e transacionais sobre serviços bancários tradicionais (contas, crédito e pagamentos).

3ª fase

Iniciação de transações de pagamento de Pix por iniciadores de transação de pagamento, com a entrada gradual dos demais arranjos de pagamento.

4ª fase

Compartilhamento de informações sobre produtos de investimentos, previdência, seguros, câmbio, entre outros, ofertados e distribuídos no mercado.

Como participar do Open Banking?

A adesão é feita, exclusivamente, pelo site ou aplicativo das instituições financeiras participantes, como bancos, cooperativas, instituições de pagamento e fintechs.

Todo o processo é feito digitalmente, pela internet. Assim, você não precisa ir ao banco.

Para conferir se sua instituição financeira já possui autorização do Banco Central para participar do Open Banking, basta verificar no site do Open Banking Brasil.

Quais bancos têm Open Banking?

Centenas de instituições financeiras já aderiram ao Open Banking, entre elas, destacamos:

Ainda não encontrou uma conta perfeita para você?

Compare as principais opções de conta do mercado e solicite a sua online!

Ver contas

Open Banking é seguro?

Toda a operação é regulamentada pelo Banco Central, que assegura que o processo é seguro e realizado de forma transparente.

  • Experiência em segurança: as tecnologias de segurança em todas as transações de pagamento, como TED, DOC e Pix, seguem sendo utilizadas pelas empresas.
  • Autenticação: são utilizadas diferentes formas de autenticação como biometria, token e senha.
  • Análise de monitoramento e comportamento: são utilizadas tecnologias que ajudam a identificar ações suspeitas e fraudulentas.
  • Canais de atendimento: as empresas envolvidas possuem centrais de atendimento especializadas para tirar dúvidas ou tratar de assuntos relacionados aos procedimentos do Open Banking.

O BACEN reforça que as instituições participantes somente poderão compartilhar dados e serviços de clientes que tenham solicitado o compartilhamento após as seguintes etapas:

  1. Consentimento;
  2. Autenticação;
  3. Confirmação.

Qual a aplicação da LGPD ao Open Banking?

Uma das exigências do Banco Central quanto ao Open Banking para as instituições financeiras que irão oferecer o sistema é a adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Dessa forma, as instituições poderão proporcionar maior proteção no armazenamento e uso dos dados pessoais de seus clientes.

Segundo a LGPD Brasil, o Open Banking tem o consentimento de compartilhamento de dados em sua adesão, que é uma das bases legais da LGPD.

Ou seja, o cliente detém a liberdade de permitir ou não o compartilhamento através da autorização ou o cancelamento quando quiser.

Caso o cliente queira compartilhar seus dados com mais de uma instituição, será feita uma nova coleta sobre o compartilhamento de dados autorizado, sempre com as regras da LGPD.

Quais os riscos do Open Banking?

Apesar de ser regulamentada e possuir respaldo da LGPD e do Banco Central, é preciso falar sobre os riscos e problemas do Open Banking para o usuário. Confira:

  • As instituições poderão passar a prever ou até acompanhar em tempo real os hábitos de consumo dos clientes;
  • As financeiras podem passar a oferecer cupons e ofertas de crédito em momentos que julgarem mais convenientes;
  • Constante estímulo ao consumo com o oferecimento de crédito por parte das financeiras;
  • Aumento de fraudes e golpes de sites ou aplicativos ilegais se passando por financeiras.

Para não ter problemas com o Open Banking, confira algumas dicas de segurança:

  • Instale um antivírus e procure deixá-lo sempre atualizado;
  • Configure as opções de privacidade das suas redes sociais, deixando poucas informações visíveis às pessoas que você não conhece;
  • Não preencha formulários que prometem prêmios ou dinheiro em troca de suas informações;
  • Quando abrir um link através das redes sociais, confirme que o link é verídico e não se trata de uma página falsa;
  • Evite seguir pessoas desconhecidas nas suas redes sociais;
  • Use senhas seguras, com combinações de letras maiúsculas e minúsculas, caracteres especiais e números;
  • Pesquise por informações sobre arquivos, mensagens, links e notícias que você considera suspeitas.

Vale a pena usar o Open Banking?

Confira os pontos positivos e negativos do Open Banking e analise se esse é um serviço útil e vantajoso para os seus interesses financeiros:

Vantagens

  • Autonomia na decisão do que irá acontecer com os dados que você compartilha com o seu banco;

  • Estímulo à concorrência entre os bancos na oferta de produtos e serviços;

  • Economia de tempo;

  • Menos burocracia;

  • Maior transparência;

  • Marketplaces de crédito;

  • Respaldo da LGPD e do Banco Central;

Desvantagens

  • Possibilidade de manipulação de dados por parte das instituições financeiras;

  • Maior estímulo ao consumo;

  • Estímulo ao descontrole das finanças pessoais;

  • Possível aumento do número de fraudes e golpes;

  • Aumento da necessidade de cuidado e atenção por parte da população;

Qual a diferença entre Open Banking, Open Finance e Open Insurance?

Embora os termos Open Banking, Open Finance e Open Insurance sejam parecidos, eles não significam a mesma coisa.

Open Banking é como uma rede, em que alguns dos seus dados pessoais são distribuídos entre bancos, fintechs e outras instituições financeiras.

Open Finance é uma expansão do Open Banking e é a última fase do processo de democratização dos dados.

Nessa fase, além de bancos, outras instituições financeiras como corretoras, fundos de previdência e companhias de câmbio também podem participar do sistema.

Open Insurance também é um ecossistema de compartilhamento de dados, porém voltado ao mercado de seguros, visando o aumento de ofertas e benefícios aos segurados.

Todos eles foram criados com o intuito principal de aumentar a concorrência entre as instituições.

Perguntas Frequentes sobre Open Banking

O que muda com o Open Banking?

Com o Open Banking, você pode compartilhar suas informações financeiras com a instituição que quiser, por quanto tempo quiser.

Confira agora como funciona o Open Banking!

Quando começa o Open Banking?

O processo de implementação do Open Banking no Brasil iniciou oficialmente no dia 1º de fevereiro de 2021 e já passou por quatro fases de implementação.

Veja todas as datas do Open Banking!

Open Banking é bom?

O Open Banking possui diferentes vantagens e desvantagens e cabe a cada pessoa julgar se deseja ou não aderir ao sistema.

Confira os pontos positivos e negativos do Open Banking!

Qual é a diferença entre Open Banking e Open Finance?

Open Finance é uma expansão do Open Banking e a última fase de todo esse processo de democratização dos dados.

Veja mais diferenças entre Open Banking e Open Finance!

Qual é a diferença entre Open Banking e Open Insurance?

Open Insurance é um ecossistema de compartilhamento de dados voltado ao mercado de seguros.

Confira mais diferenças entre Open Banking e Open Insurance!

Conteúdo atualizado em

João Cléber Rocha

Por João Cléber Rocha

Analista e produtor de conteúdo financeiro da Melhor Plano, João é um profissional com certificação ANBIMA CPA-20, que escreve sobre educação financeira e investimentos para te ajudar a lidar melhor com o seu dinheiro.

Melhor Plano

© Melhor Plano 2022
Todos os direitos reservados.

Endereço: R Sergipe, nº 625, Sala 503 Savassi | Belo Horizonte - MG
CEP: 30130-171

Telefone: +55 (31) 97575-9932

MelhorPlano no FacebookMelhorPlano no InstagramMelhorPlano no TwitterMelhorPlano no YoutubeEmail de Contato
Ícone Site Seguro Google

O time do Melhor Plano faz o máximo de esforço para manter toda a informação precisa e atualizada. Porém, é possível que você veja um preço diferente ao visitar especificamente o site do provedor do serviço. Ao existir uma diferença, é possível que nosso time já esteja trabalhando para atualizá-lo, ou que nosso parceiro de venda tenha oferta diferente (tentamos manter no site as melhores ofertas para você). Ao solicitar a contração de um serviço, verifique os termos da contratação com o provedor do serviço.